VW T-Cross é o carro mais vendido do Brasil (mas só por um mês)


Pela primeira vez, o VW T-Cross foi líder de vendas no mercado brasiliano. Não somente na categoria de SUVs, porque isso ele já tinha conseguido algumas vezes nos últimos meses, começando no ano pretérito, antes da pandemia. Mas o VW T-Cross foi líder de mercado, entre todos os modelos, simplesmente o sege mais vendido do Brasil, mesmo custando, em média, uns R$ 100 milénio. Um verdadeiro fenômeno de vendas? Sim e não. Vamos lá.
Para primícias de conversa, o sege chegou ontem à risco 2021 (leia cá), portanto isso significa que a risco 2020 estava sendo vendida recentemente com significativos descontos pela marca, porquê é de prática quando um ano/padrão está acabando, o que já ajuda a dar uma incrementada nas vendas.

Emplacamentos, não vendas
Aliás, vale lembrar que os números da Fenabrave não são de vendas no mês, mas de emplacamentos. Com a pandemia, muitos Detrans fecharam e muitos processos ficaram paralisados. E, agora, aos poucos e desigualmente, começam a reabrir. Ou seja, carros comprados em maio ou junho podem ter sido emplacados só em julho.
Mas isso, simples, aconteceu com todos os modelos (embora, variando os fechamentos e aberturas por Estados, e dependendo de onde cada padrão vende mais, isso afete mais diferentemente os emplacamentos de um padrão ou outro).
Aliás, muitas das vendas para PcD ficaram paralisadas, pelos mesmos motivos. Por problemas também burocráticos, os processo de compra de carros PcD tiveram diferentes problemas em diferentes Estados — desigualmente.
No caso da Volks, ainda se somaram problemas de produção, ajustes na risco e nos fornecedores para produção do novo VW Nivus (leia cá a avaliação) também fizeram a produção — e entrega — do T-Cross Sense, versão para PcD, serem interrompidos antes e durante a pandemia.

Liberação progressiva
Agora, com a de muitos Detrans e processos, os emplacamentos “estouraram”. Isso porque toda essa demanda reprimida de repente foi liberada, documentos liberados, contratos fechados. Mais importante ainda, a aparentemente quase ao mesmo tempo, a Volks voltou a entregar os VW T-Cross PCD aos consumidores que os aguardavam. E, assim, o VW T-Cross superou as 10.000 unidades emplacadas no mês. A maioria dela para PCDs e frotistas — que também retomam seus negócios –, segundo fontes
VW T-Cross ou VW Nivus?
Vi também, em grupos nas redes sociais, diversos depoimentos de pessoas que foram às concessionárias ver o novo VW Nivus pessoalmente, se decepcionaram por qualquer motivo, e acabaram fechando negócio no T-Cross. Não dá para declarar que isso tenha afetado expressivamente as vendas/emplacamentos do T-Cross no mês, pois não dispomos de dados mais detalhados, mas indica uma possibilidade.
Peroração
O VW T-Cross vendeu muito em julho sim, porquê vinha vendendo muito antes mesmo da pandemia e das outras questões industriais e burocráticas. Isso porque é certamente um bom resultado, supra de tudo (leia cá nossa avaliação da versão 1.0 e leia cá a da versão 1.4 na risco 2020, ainda sem a novidade médio multimídia).
Mas, neste momento, tirar conclusões sobre tamanho sucesso do sege fundamentado em números que foram tão afetados pela pandemia e por tantos fatores diferentes não é recomendado. O SUV certamente é um sucesso e deve seguir no pódio do ranking de SUVs, mas é óbvio que aos poucos a pandemia se vai e as coisas voltam ao normal, e o VW T-Cross dificilmente repetirá o feito de ser o sege mais vendido do país. Até porque a versão Sense deve inaugurar a emplacar menos com a demanda reprimida já suprida e as novas regras, mais rígidas, para compras com isenção de impostos por consumidores PcD.
E a liderança da Volks?
Já a liderança de mercado da Volks, conquistada em junho e julho, não se deve somente ao VW T-Cross. Polo e Gol, entre outros modelos, tem se saído muito, e o VW Nivus começou muito nas vendas, e certamente vai ajudar a marca a permanecer na liderança (leia mais cá)–— que provavelmente conquistaria também sem a pandemia (graças à sua risco atual de produtos e aos novos que estão chegando) e deve continuar quando ela terminar. Mas a Chevrolet segue na segunda posição, com os novos Tracker (leia cá) e Onix, além da novidade S10, e vai tentar de tudo para retomar a liderança.

+Qual é a melhor versão do VW T-Cross?
Veja também
+ A livraria básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Varão compra Lamborghini posteriormente fraude em auxílio emergencial

+ Os 20 carros 1.0 mais econômicos do mercado brasiliano

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar





Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 10 =