Nivus supera Renegade em menor custo no mecânico


Nivus superou o Renegade e foi eleito o SUV compacto com menor dispêndio no mecânico
O Volkswagen Nivus superou seus rivais diretos uma vez que o Jeep Renegade e o Ford Ecosport e foi escolhido uma vez que o SUV compacto com menor dispêndio quando o ponto é mecânico. De concórdia com estudo realizado pelo Meio de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi), que leva em consideração os valores e a facilidade dos reparos, o Nivus é o utilitário esportivo compacto com melhor dispêndio de reparabilidade do Brasil.
+ Avaliação: ao volante, VW Nivus Comfortline é mais cupê do que SUV+ VW Nivus secção de R$ 85.890: veja preços, versões e equipamentos
Desenvolvido 100% na América Latina com foco no consumidor lugar, o Nivus obteve nota 16 no Ranking CAR Group, ficando adiante de Jeep Renegade, Chery Tiggo 2, Ford Ecosport, Renault Duster e Peugeot 2008. Leste ranking é utilizado pelas seguradoras uma vez que base para calcular, a partir de comparações com demais veículos semelhantes, os valores de prêmio e franquia.
Veja fotos do Nivus que superou o Renegade quando o ponto é mecânico

Segundo o estudo do Cesvi Brasil, o dispêndio totalidade da reparação traseira do Nivus ficou 86% menor que a média da categoria, enquanto o valor do reparo da superfície frontal foi 53% subalterno à média dos SUVs. A cesta básica de peças, formada por aquelas que mais são afetadas em batidas de trânsito, teve um dispêndio 28% menor que a média de seus concorrentes.
Além do Nivus entre os SUVs compactos, outros 9 modelos da VW lideram o ranking do Cesvi Brasil de menor dispêndio de reparo em 8 categorias. São eles: up! (hatch subcompcato), Fox e Polo (hatch compacto), cross up! (hatch compacto off-road), Saveiro (picape compacta cabine simples), Saveiro (picape compacta cabine dupla), Virtus (sedã compacto), SpaceFox (SW compato) e T-Cross (utilitário esportivo).
Veja fotos do Renegade

Criado em 1997, o Ranking CAR Group compara veículos de uma mesma categoria quanto à facilidade e o dispêndio de seu reparo. São realizados testes de impacto de baixa velocidade (15 km/h), com colisão de 40% da frente esquerda e 40% da traseira direita, de concórdia com a Norma Internacional do RCAR (Research Council for Automobile Repairs). Essas simulações representam aproximadamente 75% dos acidentes de trânsito que ocorrem nos grandes centros urbanos.
Depois cada impacto, é estudada a extensão dos danos e a facilidade do reparo. É feito um conta que considera os custos da reparação frente e traseira, os tempos de substituição e a cesta básica de peças, gerando assim o índice CAR Group. O estudo contempla automóveis fabricados no Brasil, Mercosul e importados.
Veja também
+ A livraria básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Varão compra Lamborghini depois fraude em auxílio emergencial

+ Os 20 carros 1.0 mais econômicos do mercado brasílico

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar





Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 15 =