Carro riscado: quais reparos podem ser feitos


Riscos superficiais podem ser reparados exclusivamente com o polimento, mas se o primer for atingido será necessário refazer a pintura da peça
 
É generalidade aparecerem pequenos riscados na pintura do carruagem, ou sobrevir aquela raspada ao estacionar. A pintura é formada por três camadas (primer, tinta e verniz), por isso, dependendo da profundidade do dano, pode ocorrer oxidação no lugar se ele não for tratado adequadamente.
A primeira dica para ver a sisudez do problema é passar o dedo sobre o lugar: verifique se há diferença na textura. Quanto mais superficial, mais fácil será remover o risco. Em muitos casos, fazer o uso de cera ou tamanho para polimento pode ser suficiente para resolver o problema.
“A pintura age porquê uma estrato protetora e, quando danificada, pode sobrevir a oxidação do lugar, provocando danos ainda maiores à lataria do carruagem. Na maioria das vezes, quando os arranhões atingem exclusivamente o verniz, um polimento pode ser o suficiente para remover o risco”, destaca o CEO da startup de orçamentos automotivos BateClick, Gustavo Lima.
Por outro lado, se a profundidade for grande, é um sinal de que o primer foi atingido e, nesse caso, será necessário refazer a pintura da peça. O ideal é consultar um profissional em funilaria ou pintura automotiva para julgar o lugar danificado e apresentar um diagnóstico da melhor forma de restabelecer o veículo posteriormente um arranhão.
“Além dos reparos relacionados à pintura, por exemplo, talvez seja preciso fazer pequenos reparos na funilaria. Por isso, qualquer tentativa de improviso pode piorar e o dispêndio para reparar será ainda maior”, completa.




Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + oito =