Avaliação: Audi e-tron Sportback é SUV-cupê elétrico com dois motores e câmeras no lugar dos retrovisores


Foto: Roberto Assunção
Em abril deste ano, avaliamos o Audi e-tron SUV pelas ruas, avenidas e estradas de São Paulo. Um breve contato, porém, suficiente para saber do que é capaz o primeiro padrão 100% elétrico da marca de Ingolstadt.
Agora, eis a hora de assumir o volante do Audi e-tron Sportback, que chegou ao Brasil com preço de R$ 511.990 na versão Performance e de R$ 551.990 na avaliada Performance Black (valores na modalidade venda direta).
Não há uma vez que permanecer indiferente ao eco-friendly boche, pois a venustidade das linhas saltam aos olhos. Comparado ao e-tron SUV (R$ 491.990), as dimensões mudam minimamente. E a grande diferença está na profundidade da carroceria: são 1,616 m contra 1,629 m do SUV. O porta-malas do e-tron Sportback oferece 555 litros (660 no SUV), só para confrontar.

O Audi e-tron Sportback ainda oferece 40 litros extras sob o assoalho do porta-malas e outros 60 litros extras debaixo do capô – lugar onde fica quieto o cabo para carregamento (de série).
Ao penetrar a porta, o interno remete ao de outros carros da Audi, uma vez que o do sedã A6, o do SUV-Cupê Q8 e do e-tron SUV. Com acabamentos primorosos, o habitáculo traz quadro de instrumentos totalmente do dedo de 12,3″, multimídia de 10,1″ com conectividade Android Auto/Apple CarPlay e uma terceira tela de 8,6″, que, entre as funções, permite ajustar a temperatura do ar-condicionado.
Quem viaja detrás encontra ótimo espaço para as pernas/joelhos por conta dos quase três metros de entre-eixos, enquanto os passageiros com subida estatura não rasparem a cabeça no teto devido ao caimento da pilar C.

Aerodinâmica é uma das premissas
O design trouxe a grade frontal “Singleframe” dotada de aletas ativas, que abrem/fecham maquinalmente para beneficiar o fluxo do ar e também resfriar os componentes eletrônicos. Já as entradas localizadas nas extremidades dos para-choques direcionam melhor o vento.
O coeficiente de arrasto de 0,25 foi obtido com os retrovisores externos virtuais, que são cobrados à secção e levam um tempinho para se afazer. Logo adiante, raconto uma vez que é encaminhar sem os espelhos “convencionais”.
Tanto o e-tron SUV quanto o e-tron Sportback compartilham o mesmo conjunto eletrificado, as suspensões e os freios. São dois motores (um em cada eixo), com 181,04 cv de potência e 31,04 kgfm de torque enviados pela unidade frontal e 221,27 cv e 36,19 kgfm produzidos pelo propulsor traseiro.
O coeficiente de arrasto de 0,25 foi obtido com os espelhos retrovisores virtuais (Foto: Roberto Assunção)
Ao todo, estão disponíveis potência e torque combinados de 360 cv e 57,2 kgfm, que aumentam para 408 cv e 67,7 kgfm ao acionar a função Boost.
Eletricidade ao lado do desempenho
Os motores são alimentados por um conjunto de baterias de íons de lítio constituído por 36 módulos e 95 kWh instalado no assoalho. O peso do conjunto é de 700 kg e o aprovisionamento pode ser realizado ao penetrar a portinhola localizada no para-lamas.
Lá estão dois plugues: um para trouxa lenta e o outro para o carregamento rápido. Segundo o obreiro, o tempo para carregar de 0 a 100% em tomadas residenciais de 110 V varia de oito a nove horas. Já plugado em uma estação de 150 Kw, muro de 80% da trouxa é obtido em 30 minutos.
A segunda tomada (fechada) é destinada ao carregamento rápido (Foto: Roberto Assunção)
+ CNH no celular dá 40% de desconto em multas; uma vez que mudar+ Avaliação: Mitsubishi L200 Triton Sport reage à Chevrolet S10 e se prepara para novidade Toyota Hilux+ Avaliação: Toyota Corolla GLi é o melhor sege que você pode comprar hoje com R$ 110 milénio+ Volkswagen Tarek vai se invocar Taos; conheça novo SUV
Com a bateria enxurro, o alcance puramente elétrico, de tratado com o ciclo europeu WLTP (Worldwide Harmonized Light Vehicle Test Procedure), é de 446 km, na presença de 436 km do e-tron SUV.
O silêncio a bordo é inteiro! Ao tirar o pé do pedal do acelerador ou durante as frenagens a vontade é regenerada de volta à bateria. Rápido no gatilho, nem parece ter pouco mais de 2.500 kg. A tração é preponderante traseira e o sistema quattro elétrico é dissemelhante de tudo já feito pela Audi.
Por fim, no lugar do cardã e dos diferenciais, a tração nas quatro rodas é produzida pelos motores elétricos. Somente quando necessário, a força é enviada para o eixo dianteiro. Estão disponíveis os modos de transporte Auto, Comfort, Efficiency, Dynamic, OnRoad, Off-Road e Individual, que mudam determinados parâmetros do sege.
Muito definidos entre si, ao optar pelo Efficiency as reações ficam comedidas e a direção macia ao esterço. No Dynamic, que aciona o modo Boost maquinalmente, as respostas assumem um caráter mais de prontidão e o volante mais firme ajudam na dirigibilidade. Com distribuição de peso na ordem de 50:50, o Audi e-tron Sportback é muito prazeroso no perímetro de curvas.
Embora  utilize grandes rodas de 21″, as suspensões filtram e absorvem de maneira réplica as imperfeições do asfalto, além de variar a profundidade da carroceria em relação ao solo, dependendo do programa selecionado.
Os espelhos retrovisores do porvir
Porquê citei anteriormente, os espelhos retrovisores externos virtuais são uma tecnologia bacana e oferecida por R$ 13.000 extras. No entanto, levam um período de adaptação nos primeiros quilômetros.
Foto: Roberto Assunção
As imagens são transmitidas para as telas táteis de 7” localizadas nas laterais de portas. Logo de início fica uma sensação de não saber “onde colocar o sege”, principalmente, em vagas de estacionamento ou locais mais apertados.
Foto: Roberto Assunção
Em meio ao trânsito, os olhos buscam a posição “normal” dos retrovisores e nos obrigam a desviar a atenção para realizar uma mudança de filete, por exemplo. Simples, com mais tempo de convívio dá para aproveitar melhor essa tecnologia. Tudo é uma questão de se afazer.
Com uma dirigibilidade muito semelhante ao do e-tron SUV, a versão Sportback traz o plus do visual associado ao prazer de transporte puramente elétrico.
Confira os valores dos opcionais:

Pintura metálica: R$ 2.400
Faróis Full-LED Matrix: R$ 13.000
Pacote Tecnológico: R$ 26.000 (Head-Up Display, Pre-Sense Dianteiro e assistente de visão noturna).
Retrovisores virtuais: R$ 13.000
Audi Side Assist: R$ 8.000 (Audi Side Assist/alerta de saída dos ocupantes do veículo, assistente de tráfico revirado e Audi Pre Sende traseiro).

Ficha Técnica
AUDI E-TRON SPORTBACK PERFORMANCE BLACK
Preço substancial: R$ 551.990Coche medido: R$ 551.990
Audi e-tron Sportback PerformanceMotores: Elétrico, dianteiro e traseiroCombustível: a bateriaPotência: 360 cv (408 cv com modo Overboost acionado)Torque: 57,2 kgfm (67,7 kgfm com modo Overboost acionado)Câmbio: automático, uma marchaDireção: elétricaSuspensão: Braços sobrepostos (d) e multibraços (t)Freios: discos ventilados (d/t)Tração: IntegralDimensões: 4,901 m (c), 1,935 m (l), 1,616 m (a)Entre-eixos: 2,928 mPneus: 265/45 R21Porta-malas: 555 litros + 60 litros do divisão dianteiro + 40 litros sob o assoalho do porta-malasBateria: Ions de lítio, 95 KWhPeso: 2.655 kg0-100 km/h: 6s6 e 5s7 (função Boost acionada)Velocidade máxima: 200 km/h (limitada eletronicamente)Consumo cidade: 40,4 km/kWh (modo de transporte Efficiency)**Consumo estrada: 33 km/kWh (modo de transporte Efficiency)**Autonomia: 446 km (ciclo WLTP)Recarga: 13 horas (7,2 kWh) e muro de 80% da trouxa em 30 minutos em estações de 150 kWhNota do Inmetro: A***Classificação na categoria: A******Mensuração Motor Show
Veja também
+ A livraria básica do motociclista cool+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas+ Varão compra Lamborghini depois fraude em auxílio emergencial+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar





Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 3 =