PSA está de olho na tecnologia híbrida da Renault



A PSA está de olho na tecnologia híbrida da Renault. Apesar do foco maior na eletrificação plena de sua gama de produtos, mormente com as novas gerações de Citroën, Peugeot, DS, Opel e Vauxhall, a hibridização ainda é uma escolha.Com ela, o grupo gaulês pode ampliar a redução das emissões de CO2 e tornar o grupo isento de multas na Europa. Dentro de seu portfólio, a PSA decidiu pelo híbrido plug-in para carros de tamanho médio e grande, mantendo assim o powertrain a gasolina.A receita parece ter oferecido notório, visto que alguns modelos chegam a ter mais de 350 cavalos de forma combinada, elevando o nível dos produtos do grupo para um segmento de subida performance. Mas, do outro lado, a PSA não tem porquê implementar uma hibridização de dispêndio menor.Nesse caso, quem teria conseguido é a rival Renault com a tecnologia E-Tech. Segundo se comenta na Europa, algumas marcas estariam de olho na mesma tecnologia da marca francesa. O motivo é que esse sistema difere dos demais por não dispor de uma embreagem tradicional.Estima-se que esse sistema tem um dispêndio de produção muito mais reles que um híbrido generalidade e a Renault também estaria disposta a vende-lo para outras marcas para reduzir ainda mais seus gastos com a tecnologia. O traje é que a francesa conseguiu introduzir o dispositivos em modelos mais baratos, porquê o Clio, por exemplo.Na PSA, não há opção de híbrido plug-in para os carros compactos sem um dispêndio elevadíssimo, que reduziria enormemente as margens já apertadas.O grupo até fechou uma parceria com a Punch para o desenvolvimento de um câmbio de dupla embreagem com sete marchas para uso no motor 1.2 Puretech, assim porquê uma transmissão automática para reformar a Aisin usada atualmente.Porém, mesmo estes teriam um dispêndio mais ressaltado que o E-Tech da Renault. O que facilita ainda um provável harmonia é a troca de engenheiros e técnicos entre as duas empresas, com chefes de desenvolvimento e engenharia tendo mudado de lado nos últimos meses. Eles carregam consigo a experiência em projetos porquê esse.[Fonte: L´Argus]  O que você achou desta notícia?



Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − um =