Jeep Compass turbo x VW Tarek: comparativo adianta disputa no Brasil; veja o teste dos dois


Jeep Compass turbo x VW Tarek é uma combate que muito interessa aos brasileiros.O primeiro não chegou cá na risco 2021, com alguns esperavam, mas deve chegar no ano que vem, uma vez que risco 2022, enfim com o motor 1.3 turbo aposentando o velho 2.0 flex, uma vez que já ocorreu na Europa.
Assim, talvez chegue depois do rival da Volkswagen, que na verdade pode não se invocar Tarek e, uma vez que todos sabem, está em temporada final de desenvolvimento para ser produzido na Argentina e entrar na risco entre o T-Cross e o Tiguan para desafiar o best-seller da Jeep. 
PRIMOS
Enquanto o “Tarek” não chega, olhemos para o Skoda Karoq. E podíamos olhar também para o chinês Tharu (veja mais cá), que deriva da mesma base MQB, com medidas ligeiramente diferentes — entenda mais sobre eles clicando cá. Isso porque, para quem não sabe, a Skoda é o braço tcheco da Volks, e tem os mesmos carros com logo e design específicos para o mercado não somente da República Tcheca, mas para vários países europeus.
Uma vez que é quase exatamente o mesmo protótipo que nosso porvir “Tarek”, o Karoq já foi, inclusive, flagrado rodando pelo Brasil em testes, uma vez que “mula” do novo SUV médio da marca alemã. Na verdade, nós já o avaliamos antes na MOTOR SHOW (leia cá).

Assim, ao ver que nossa parceira, a revista italiana Quattroruote, já comparou o novo Jeep Compass turbo com o “VW Tarek” – quero expor, com o Skoda Karoq –, achei que o comparativo muito nos interessa. Lá na Europa, estes dois SUVs médios são rivais diretos, extremamente parecidos em muitos pontos, e adiantam a disputa que teremos por cá entre Volks e Jeep. Mas, já adianto, não será exatamente a mesma disputa, porque não devem mudar somente design e marca do Karoq, e porque, também, o Compass cá não deve ser exatamente o mesmo. Já voltarei a esse ponto.

Dados técnicos
O Jeep Compass nós, brasileiros, conhecemos muito muito. O que vai mudar nele é, basicamente, a opção de motor a gasolina. Já o motor a diesel deve ser mantido, e o Volks não terá, logo vou deixá-lo de fora desta verificação. Vale notar que os dados são do Jeep Compass turbo lançado na Europa, que não é flex.
Analisando os dados técnicos dos dois modelos europeus, vemos uma vez que são similares, e uma vez que a disputa entre os dois é parelha. Porte, construção, potência… tudo é extremamente parecido. Confira aquém a tábua com as principais informações da disputa europeia entre Jeep Compass turbo x Skoda Karoq/”VW Tarek”.

POWERTRAIN
Jeep Compass turbo
Skoda Karoq

Cilindros
quatro cilindros
quatro cilindros

Cilindrada
1332
1498

Potência máxima
150 cv a 5.500 rpm
150 cv a 5.000 rpm

Torque supremo
27,5 kgfm a 2.500 rpm
25,5 kgfm de 1.500 a 3.500 rpm

Injeção
direta
direta

Extras
MultiAir (variação de válvulas com comando eletrohidráulico)
turbo com geometria variável, desativação de cilindros

Transmissão
automatizada, dupla embreagem, seis marchas
automatizada, dupla embreagem, sete marchas

CHASSIS
Jeep Compass turbo
Skoda Karoq

Suspensão frente
McPherson
McPherson

Suspensão traseira
McPherson
Eixo de torção

Pneus
235/45 R19
225/40 R19

DIMENSÕES
Jeep Compass turbo
Skoda Karoq

Comprimento
4,39
4,38

Largura
1,82
1,84

Profundidade
1,62
1,60

Entre-eixos
2,64
2,64

Porta-malas
438 a 1.387 litros
479 a 1.810 litros

Peso
1.505 kg
1.393 kg

Tanque
55 litros
50 litros

 
Desempenho e consumo
Nossa parceira italiana Quattroruote também comparou em pista, com seus testes completos, Jeep Compass turbo e VW “Tarek” – quero expor, Skoda Tarok. E, uma vez que os dados técnicos já apontavam, a disputa foi muito parelha, mas o protótipo do grupo VW anda mais. Veja os resultados:

DESEMPENHO
Jeep Compass turbo
Skoda Karoq

0-60 km/h
5,1
4,4

0-100 km/h
10,6
9,3

0-120 km/h
14,7
12,9

0-140 km/h
20,7
18,4

Retomada 70-120 km/h
9,4
8,8

1000 m (segundos, velocidade)
32,1 / 166,4
30,9 / 167,4

Velocidade máxima
203,8 km/h
194,6 km/h

CONSUMO
Jeep Compass turbo
Skoda Karoq

90 km/h
18,4 km/l
16,7 km/l

130 km/h
11,8 km/l
11,2 km/l

Média cidade
12,4 km/l
12,8 km/l

Média estrada
15,3 km/l
13,9 km/l

Média universal
13,2 km/l
12,8 km/l

Autonomia média
726 km
639 km

 

Jeep Compass turbo (Europa)

Qual é melhor em quê?
A Quattroruote fez uma estudo completa dos dois modelos. Confira no que eles empataram e quem ganhou em quê, segundo a revista italiana que é nossa parceira.
EMPATARAM:

Posição de guiar: o Jeep Compass oferece um assento mais saliente, mas as pernasficam mais dobradas; o Karoq é melhor, mas o assento não tem ajustes elétricos.

Conforto: Dois SUVs agradáveis, com cabines e acabamentos muito isolados, que absorvem corretamente os defeitos do solo. O Karoq/Tarek é um pouco mais taciturno e capaz de admitir obstáculos piores.

Motor: Ambos os turbocompressores são sofisticados e completamente em termos de números absolutos, apesar do volume dissemelhante. O Jeep 1.3 é mais luminoso em altos giros, mas mais lento em baixos.

Ar-condicionado: De série, os dois são automáticos de duas zonas, com saídas traseiras e eficazes.

Frenagem: Espaços de paragem e resistência adequados em ambos. O Jeep para primeiro a 100 km/h. Mas é pior com baixa aderência.

JEEP COMPASS TURBO GANHOU:

Direção: Os dois sistemas são agradáveis ​​na cidade, com muita leveza. Na estrada, no entanto, são menos precisos. No Karoq, mormente, falta feedback.

Equipamentos: Os dois são muito completo nestas versões top, mas o Jeep é mais generoso em alguns pontos (epiderme/bancos e porta traseira elétricos). No entanto, Skoda tem mais opcionais.

Comportamento dinâmico: seguros e confiáveis em situações de emergência, eles também proporcionam alguns sorrisos nas curvas: são ágeis e a rolagem das carrocerias são lentas. O Jeep tem um ESP melhor calibrado

Consumo: na cidade o Karoq se sai um pouco melhor, na estrada o Compass tem menos sede. E acaba ganhando na média universal.

Habitabilidade: o Jeep tem uma cabine melhor explorada, tanto em termos de espaço totalidade quanto no banco traseiro. Por outro lado, as outras medidas são equivalentes.

VW TAREK (SKODA KAROQ) GANHOU:

Pintura e comandos: ambos têm bom retoque, mormente o Skoda, que ainda é mais organizado na disposição dos controles e dá mais atenção aos detalhes.

Instrumentação: o Karoq tem o tela do dedo, prático de usar. O do Compass também é bom no universal, com sua ampla tela de 7 e instrumentos circulares tradicionais.

Aceleração: o Compass pesa tapume de sessenta quilos a mais, e mostra, em privado, uma certa lentidão no primícias da aceleração. O Skoda é mais destro.

Multimídia: dois sistemas completos com interfaces boas, mormente no Skoda, que tem um assistente de voz mais eficiente e conectividade sem fio para smartphones.

Retomadas: a balança pende para o lado do Karoq, que tem boa reatividade ai acelerador, préstimo do turbo com geometria variável. O Compass sofre com a transmissão lenta.

Transmissão: a lógica de gerenciamento do sistema de dupla embreagem do Jeep não lhe faz justiça: nas reduções de marcha, há muitas indecisões e uma certa lentidão de ação.

Visibilidade: o Skoda tem colunas mais finas, que favorecem a visão da frente esquerda e de três quartos de traseira. Adiante e para trás, são equivalentes. Ambos têm câmeras.

Conclusão: muito embalados, oferecem boa percepção de qualidade. No entanto, o Karoq tem estofamento premium em determinadas áreas e combinações mais muito cuidadas.

Segurança: o kit vital é equivalente, com controle de cruzeiro ativo, freio automático e assistente de mudança de filete. O do Karoq ajuda a manter a trajetória.

Porta-malas: o divisão de bagagem do Skoda está um degrau supra: em volume (58 litros a mais), retoque e usabilidade. Opcionalmente, tem bancos traseiros deslizantes para aumentar a capacidade.

Veredicto
Cada um com suas vantagens, uma vez que acabamos de ver, o VW Tarek (ops, Skoda Karoq) acabou ganhando em mais pontos. Se o SUV médio da Volks lançado no Brasil for bastante parecido ao protótipo tcheco do grupo Volks, vai dar muito trabalho para o Jeep Compass. Mas há alguns “pequenos” detalhes: esta combate europeia não deve se repetir tão fielmente cá. Vamos lá. 
Por que no Brasil deve ser dissemelhante?
Uma vez que muito sabemos, os carros feitos cá costumam ser simplificados em relação aos feitos por lá. O VW Polo daqui não é igual ao europeu, Jeep Compass e Renegade daqui não têm todas as mesmas mecânicas de lá. Estes dois modelos, portanto, não devem chegar cá exatamente uma vez que são lá na Europa. Falando em porte, espaço, porta-malas, retoque, e talvez até equipamentos, podem até permanecer bastante próximos dos primos europeus. São coisas que não costumam mudar tanto.
Mas o motor do VW “Tarek” cá não deve ter desativação de cilindros, e muito menos turbo com geometria variável — tecnologias caras e que são usada em pouquíssimos modelos (o Polo europeu tem um motor 1.5 com a tecnologia; o nosso não – nem o Audi Q3 daqui tem). Cá, o Tarek deve ter nosso publicado motor 1.5 flex, com os mesmos150 cavalos de potência, mas não com as mesmas respostas e nem com a mesma economia. Do mesmo modo, a transmissão de dupla embreagem deve ser trocada pela nossa velha “Tiptronic”, uma caixa automática convencional.
Do mesmo modo, embora o motor europeu seja fundamentado em nosso Firefly, o Jeep Compass 1.3 turbo feito no Brasil não deve ter o sistema MultiAir, com válvulas de recepção e escape com fenda e tempo variáveis comandadas hidraulicamente. E a caixa de câmbio de dupla embreagem também pode ser trocada por uma convencional.
Desse modo, se levante comparativo europeu já nos dá uma teoria de uma vez que será essa aguardada disputa dos segmento de SUVs médios, ou compacto-médios, uma vez que preferem alguns, em alguns pontos só saberemos realmente quem é melhor na disputa Jeep Compass turbo x “VW Tarek” quando os dois modelos chegarem definitivamente cá, e isso vai depender muito de uma vez que cada um deles chegar, e por qual preço, é evidente.
Veja também
+ A livraria básica do motociclista cool+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas+ Varão compra Lamborghini depois fraude em auxílio emergencial+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar





Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − quatro =