Fusão entre Honda e Nissan seria saída para quebra de aliança



Um relatório divulgado pelo jornal britânico Financial Times está repercutindo muito no Japão e no mercado internacional. Pelo texto, o governo de Tóquio tentou uma fusão entre Honda e Nissan por desculpa da crise na federação desta última com a Renault.A tentativa ocorreu antes mesmo de que a crise na federação atingisse um nível mais grave e foi feita uma vez que uma opção,  caso houvesse quebra da federação entre Renault e Nissan, deixando a montadora japonesa “exposta”.Uma vez que meio de salva-la de uma verosímil bancarrota, uma vez que ficaria vulnerável financeiramente, o governo nipónico teve a teoria de atrair a Honda para o negócio.O relatório diz que o gabinete do primeiro ministro Shinzo Abe chamou as duas empresas para uma conversa, onde propôs a fusão entre Honda e Nissan, caso a federação com os franceses fosse para o vinagre.Porém, apesar da boa vontade de Tóquio, Honda e Nissan recusaram veementemente uma fusão. Isso aconteceu em dezembro de 2019, antes que a pandemia de coronavírus impactasse as duas montadoras. Todas as partes recusaram comentar.Uma vez que se sabe, Renault e Nissan chegaram a um harmonia e criaram uma novidade estratégia global, que também envolve a Mitsubishi, embora essa passe a ser mais localizada dentro da “tríplice federação”.Agora, cabe indagar o que haveria de mercê em uma fusão entre Honda e Nissan. A primeira possui sua própria tecnologia e a engenharia tornaria difícil um compartilhamento de peças e componentes com a concorrente.Isso não permitira uma economia em graduação global, gerando ainda mais prejuízo. Ou por outra, a Nissan tem uma grande de tecnologia da Renault, que obviamente cortaria alguns dos elementos chaves na sinergia.Outro item que também remaria contra essa maré de fusão seria a heterogeneidade tecnológica da Honda, que atua em diversos ramos de negócios. Porém, juntas, as duas alcançariam a posição da Volkswagen, com mais de 10,4 milhões de carros vendidos anualmente e a passaria com a Mitsubishi também no negócio, assumindo a liderança global.[Fonte: Financial Times via Autocar]  O que você achou desta notícia?



Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − oito =