Avaliação: Volvo XC40 híbrido anda como esportivo e ‘bebe’ menos que 1.0


Novidade versão T5 Plug-in R-Design do SUV sueco brilha em consumo sem deixar bom desempenho de lado
 
A estratégia é ousada: até o termo de 2021, a Volvo promete ter ao menos uma opção eletrificada para 100% da gama no Brasil. Entre os SUVs da marca, o XC40 era o único que não dispunha dessa opção. A espera acabou com a estreia da forma T5 Plug-in Hybrid R-Design, por R$ 245.950. No próximo ano, a opção híbrida deverá estrear nos demais acabamentos (Momentum e Inscription), que já têm consumo registrado pelo programa de etiquetagem do Inmetro.
Por falar em consumo, nascente é o isca da novidade versão do Volvo, que consegue médias oficiais de 24,5 km/l na cidade e 22,3 km/l na estrada – para efeito de conferência, as versões com motor T4 (leia cá a avaliação do aperfeiçoamento de ingressão) registram médias de 9,5 km/l e 11,9 km/l, respectivamente.

A “mágica” acontece com a substituição do idoso motor 2.0 turbo T5 de 252 cv pela combinação entre um 1.5 turbo 3 cilindros, de 180 cv e 27 kgfm, a um elétrico de 82 cv e 16,3 kgfm. Isso resulta em uma potência combinada de 262 cv, 10 cv a mais que o idoso XC40 R-Design somente a gasolina. O torque combinado também supera com folga o anterior (43,3 kgfm, perante 35,7 kgfm no protótipo interrompido).
Para gerenciar a entrega de força de dois motores de forma simultânea, o XC40 híbrido utiliza um novo câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas, com tração somente frente.

Ao volante, o XC40 híbrido segue a silabário dos irmãos maiores, XC60 e XC90 com motorização T8, onde um dos destaques é o silêncio a bordo. Em acelerações suaves e moderadas, unicamente o motor elétrico garante o arranque. Já para partidas com maior vigor, o motor a esbraseamento entra em ação (de forma discreta) para somar forças. Ao todo, o SUV dispõe de 5 modos de transporte (Hybrid, Pure, Power, Off-Road e Individual).
Segundo dados de fábrica, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 7s3 e a velocidade máxima, por enquanto, é de 205 km/h. Cá, vale o parênteses: em maio, a marca anunciou que irá limitar a velocidade máxima de todos os carros em 180 km/h, o que deverá valer a partir da risca 2021 do XC40.

O XC40 agrada pelo comportamento dinâmico, com boa aderência em curvas e direção com peso correto e núcleo muito definido. A contrapartida do ajuste mais firme de molas e amortecedores aparece ao transpor lombadas ou buracos na via, onde o sueco deixa passar à cabine alguns solavancos. Ainda assim, o XC40 é muito mais “amigável” ao solo brasiliano que os Volvo de gerações passadas.
As baterias do SUV possuem 10,7 kWh de capacidade, o que permite autonomia de até 47 km no modo 100% elétrico. Caso o proprietário disponha de tomada de carregamento na garagem de morada e/ou no trabalho, é verosímil realizar os trajetos diários sem utilizar uma única pinga de gasolina. Além da tomada, a recarga das baterias acontece pela recuperação da força cinética em frenagens e também por meio do motor a esbraseamento – para isso, é necessário clicar a tecla “charge” (recarregar) na meão multimídia. Também é verosímil “pausar” o uso do motor elétrico para manter o nível de trouxa.

Itens de série
A cabine do XC40 T5 Plug-In Hybrid R-Design segue o mesmo padrão de aperfeiçoamento do predecessor, com destaque para o revestimento dos bancos, com promiscuidade de epiderme e nobuck (espécie de camurça). Boas sacadas do protótipo são a ativação automática da recirculação do ar ao detectar poluição externa, comando eletrônico para trava infantil e vidros das portas traseiras, manual do proprietário integrado à meão multimídia e assistência remota em caso de emergência Volvo On Call. Atualização necessária no Volvo é a troca do padrão de mensuração de consumo europeu (L/100 km) pelo usual no Brasil (km/l).
Entre os itens de série, o XC40 híbrido traz quadro de instrumentos do dedo de 12,3 polegadas, meão multimídia de 9 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, teto solar elétrico, carregador de celular por indução e sistema de som Harman Kardon de 600W.

O protótipo é equipado ainda com ar-condicionado do dedo de duas zonas, faróis full LED com controle dinâmico do facho, sistema de início e fechamento do porta-malas sem o uso as mãos, sensores de estacionamento na frente e traseira, rodas de liga ligeiro de 20 polegadas e câmera de ré.
O SUV traz também os equipamentos de transporte semiautônomas disponíveis em outros acabamentos da risca Volvo, uma vez que controle de cruzeiro adaptativo com função curvas (até 130 km/h), frenagem autônoma de emergência, sensor de pontos cegos, alerta de mudança involuntária de fita com assistente de direção e alerta de tráfico transversal traseiro, entre outros.

A garantia do sege é de 2 anos; para as baterias de tração, são 5 anos de cobertura. As revisões do XC40 são feitas a cada 10 milénio km ou 12 meses, com valor de R$ 3.797 na soma das três primeiras paradas.

 

• DADOS DE FÁBRICA

Volvo XC40 T5 Plug-in Hybrid R-Design 2020

Motores
Dianteiro, transversal, 3 cilindros em risca + motor elétrico

Cilindrada
1.477 cm³

Potência combinada
262 cv (G) a 5.800 rpm

Torque combinado
43,3 kgfm (G) de 1.500 a 3.000 rpm

Câmbio
Automatizado de dupla embreagem e 7 marchas, tração frente

Suspensão (frente / traseira)
Indep. McPherson/Indep. Multibraço

Pneus e rodas
Pirelli PZero 245/45/R20

Freios (frente / traseira)
Disco ventilado/disco

Peso (kg)
1.871

Comprimento (mm)
4.425

Largura (mm)
1.863

Profundeza (mm)
1.652

Entre-eixos (mm)
2.702

Porta-malas (litros)
460

Tanque de combustível (litros)
48

Preço
R$ 245.950

 

• MEDIÇÕES MERCADO

Volvo XC40 T5 Plug-in Hybrid R-Design 2020

Consumo (gasolina, em km/l)*

Cidade
24,5

Rodovia
22,3

Média PECO
23,5

Autonomia (km)
1.128

*Nascente: Inmetro
Fotos: Divulgação




Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =