Avaliação: vale a pena comprar o Chevrolet Onix Turbo manual?


O que achamos de um sege depende muito do que nós esperamos dele. A verdade nem sempre corresponde às nossas expectativas. Ao programar esse Chevrolet Onix Turbo manual para teste, e goro por saber que o “esportivado” RS chegou unicamente com câmbio automático, logo imaginei um esportivinho.
O visual pleno de vincos e as rodas pretas da unidade testada ajudaram a gerar a expectativa de esportividade. Nesse ponto, a cabine me agradou: é muito equipada e tem aperfeiçoamento que imita carbono, além de um bom espaço no banco traseiro e também no porta-malas (com 4,16 m de comprimento, ele é quase um hatch médio).
Gostei do computador de bordo com gráficos de consumo, média traste dos últimos 50 quilômetros e muito mais. Aliás, o sistema multimídia é bastante fácil de usar (só não gastaria para ter internet: meu celular faz igualzinho).

Apesar do assento pequeno, o banco em peça única acomodou muito meu corpo, e junto com os ajustes amplos do volante, permitiu encontrar uma boa posição de encaminhar. Na cidade, o torque entregue em baixas rotações economiza as trocas de marcha e dá prontidão, além de prometer um consumo supimpa (de 11 km/l em nossa avaliação). Mas ele me conquistou foi na estrada – não uma vez que esperava.
O motor 1.0 de 118 cv é mais do que suficiente. O Chevrolet Onix Turbo manual acelera e retoma muito, e dá para fazer quase tudo em terceira marcha, de saídas de lombada a retomadas rápidas 60-120 km/h. Ele “puxa” muito, e às vezes a frente até destraciona.
Uma shift-light acende em baixa rotação, para economia, depois em subida, para performance. Mas, para ser esportivo, faltou uma transmissão melhor. Os engates são difíceis e não ajudam a trocar marchas rapidamente. E, para piorar, as relações longas privilegiam o consumo (“cortam o embalo” nas trocas).

Já as suspensões não são firmes uma vez que num esportivo, mas, depois que apoiam, controlam muito a carroceria. Falta também, para ser esportivo, uma direção mais direta e freios mais sensíveis.
No término, a verdade não mostrou um esportivo, embora ande poderoso, mas um ótimo “compacto-médio” de uso familiar. O rodar soturno agradou, e, a 120 km/h (2.500 rpm em sexta) a média com gasolina ficou em ótimos 17 km/l. Mesmo andando mais rápido, o motor impressionou pela atuação sempre muito silenciosa.
Não compraria nascente Chevrolet Onix Turbo manual uma vez que sege principal porque preciso de mais porta-malas. Porquê segundo sege, para uso urbano (não pego trânsito pesado) ou viagens curtas, sozinho ou com pouca bagagem, teria espaço na minha garagem, apesar de não ser o esportivo que esperava. Optaria pelo LT, de R$ 63.890.
Flávio Silveira | Editor
CONTRAPONTO
Sou possuidor de um subcompacto há oito anos, e, embora ele seja um “backup”, com pouco mais de 33.000 km, futuramente penso em trocá-lo. E nascente Chevrolet Onix Turbo manual encabeça a minha lista de pretendentes. Eu ando sozinho grande secção do tempo, não sou casado e tampouco preciso de um porta-malas volumoso.
Portanto, esse Chevy se molda perfeitamente ao meu uso. Apesar de não ser muito ligado em tecnologia, curti o wi-fi embarcado e pagaria pelo serviço, pois ele funcionou muito muito tanto na estrada quanto ao passar por túneis.
Concordo com o Flavio sobre o desempenho esperto do motor, que privilegia a dirigibilidade e os engates pesadinhos do câmbio manual. Entretanto, achei as respostas da direção de harmonia com a proposta do sege.
Ao contrário do meu colega, enfrento congestionamentos e, mesmo assim, o pedal da embreagem é macio e não me cansou depois um tempo ao volante. Essa experiência serviu para declarar que ainda terei na minha garagem um Onix “turbão” manual. Ainda mais nesta belíssima cor laranja “Tiger” com as rodas opcionais em tonalidade mais escura.
Rafael Poci Déa | Repórter
COMPRE SE…

Você quer um hatch com bom porta-malas, bom desempenho e muito econômico, e não faz questão de transmissão automática.
Você é ligado em tecnologia, gosta de mimos e das últimas novidades no seu sege – nesse caso, opte pela versão LTZ avaliada.

NÃO COMPRE SE…

 Você procura um sege com câmbio manual e turbo principalmente pela esportividade. Cá o turbo é principalmente para a economia.
 Você quer unicamente um bom sege compacto para uso urbano. Neste caso, a versão com o motor 1.0 aspirado é ainda mais econômica.

Chevrolet Onix LTZ MT
Preço imprescindível (TURBO) R$ 63.890Carruagem medido R$ 67.390
Motor: três cilindros em traço 1.3, 8V, duplo comando variável, turboCilindrada: 999 cm3Combustível: flexPotência: 116 cv (g/e) a 5.500 rpm (e)Torque: 16,3 kgfm (g) e 16,8 kgfm (e) a 3.500 rpmCâmbio: manual, seis marchasDireção: elétricaSuspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)Tração: dianteiraDimensões: 4,163 m (c), 1,730 m (l),1,476 m (a)Entre-eixos: 2,551 mPneus: 185/65 R15Porta-malas: 275 litrosTanque: 44 litrosPeso: 1.075 kg0-100 km/h: 10s2 (g) e 10s1 (e)Velocidade máxima: 180 km/h (g/e)Consumo cidade: 13,5 km/l (g) e 9,4 km/l (e)Consumo estrada: 16 km/l (g) e 11,2 km/l (e)Emissão de CO2 91 g/kmCom etanol = 0 g/kmConsumo nota ANota do Inmetro: AClassificação na categoria: A (Médio)
 
Veja também
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA+ Veja mudanças depois decisão do STF sobre IPVA+ T-Cross ganha novidade versão PCD; veja preço e fotos+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas+ Varão compra Lamborghini depois fraude em auxílio emergencial+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar





Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + três =