Audi e-tron inova em tecnologia e condução, mas mantém cara comum



Audi e-tron. A marca alemã deu seu primeiro salto no mundo dos carros elétricos e inicia pelo topo, com um SUV de quase 5 metros.Cá, ele formará um trio com e-tron Sportback e e-tron GT, ambos já confirmados para o Brasil. Tal uma vez que outros SUVs luxuosos e elétricos, o protótipo da Audi chega num preço em risca com o segmento.Mais inferior, explicaremos o motivo disso. No Audi e-tron, a tecnologia avançou com a eletrificação, uma vez que os retrovisores em forma de câmeras, por exemplo.Ainda assim, não espere uma abordagem futurista neste teuto, nem mesmo no que é mais óbvio em qualquer sege elétrico, a informação.É preciso se habituar com um elétrico que quer ser “geral” e que chega a custar até menos, partindo de R$ 539.990 na Performance Black, que cá custava R$ 599.990 completo.Por fora…Não deve ser difícil para o meio de estilo da Audi, traçar um sege. Enfim, todos eles se parecem e o e-tron tem uma faceta de A3 Sportback, porém muito maior.Os faróis Matrix LED opcionais chamam atenção por seu formato bumerangue. A grade com logotipo S line é metade falsa, já que somente climatização e baterias precisam de refrigeração.Com belas rodas aro 21 polegadas e pinças de freio laranja, da versão Black, o Audi e-tron Performance labareda atenção pelas câmeras externas em pescoços não rebatíveis eletricamente.Na traseira, as lanternas em LED se conectam sobre a tampa e dão um layout interessante ao resultado, que mantém as linhas características da Audi, sendo assim inconfundíveis.Por dentro…No interno, o Audi e-tron tem um visual sofisticado, muito mais que o exterior sóbrio. O cluster do dedo tem 12,3 polegadas e até visor noturno, opcional também. Zero de apresentação 3D.Isso você verá somente na multimídia MMI Plus no modo de câmera, onde o SUV é reproduzido fielmente em uma animação com imagens em 360 graus do envolvente exterior.Com 10,1 polegadas, a MMI ainda possibilita fazer a gestão das câmeras, assim uma vez que observar o nível da bateria. Também vem com Google Android Auto e Apple CarPlay.Pode-se ainda optar pelos modos de transporte também. Tudo muito distribuído num envolvente até que intuitivo. O ar condicionado de 4 zonas fica num terceiro display de 8,6 polegadas.No pacote S line, até o volante de quatro raios e conclusão em alumínio são exclusivos, assim uma vez que os bancos em Alcantara e devidamente cobertos pelo logotipo.Os dianteiros possuem diversos ajustes elétricos. Nas portas é que fica a cereja do bolo. Sem espelhos externos, duas telas ficam posicionadas nos cantos. Mais inferior, vamos descrevê-las.Já o sistema de som é da Bang & Olufsen 3D com 16 alto-falantes e tem uma qualidade sonora supimpa. Nas entradas, soleiras de alumínio S line dão as boas-vindas.O Audi e-tron Performance Black, completo, vem com HUD cromatizado. No teto escurecido, um vidro panorâmico com boa rombo e persiana elétrica.Entre os bancos, o túnel suplente um manete com esteio macio para a mão. As marchas são mudadas com o dedão e com o indicador.Logo inferior, há um porta-objetos longo. Ele é estranhamente acessível e muito que poderia ter uma cobertura. Detrás, muito espaço para pernas e comandos de climatização individuais.Para quem vai trespassar, existe um alerta na porta para indicar a presença de um sege se aproximando na rua. O conforto detrás é bom e ainda dá para usufruir o teto panorâmico.Já o porta-malas tem bons 600 litros e rebatimento automático dos encostos para ampliar seu volume até 1.725 litros. Na frente, outros 60 litros são ocupados pelos carregadores.Por ruas e estradas…Ele é elétrico, mas quer se passar por um protótipo a gasolina. Essa é a sentimento tivemos ao encaminhar o Audi e-tron. Não se trata da sensação ao volante, mas das características do veículo.Na partida ausente de soído, o e-tron não te apresenta visualizações 3D bonitas e nem inicia com gráficos e monitoramento do estado da bateria.Quando se observa o cluster, isso fica ainda mais nítido. É uma vez que se estivéssemos num Q7 ou Q8, pouca coisa lhe diz que oriente sege é um elétrico.Todavia, no lugar do conta-giros, um medidor de uso de potência, uma filete de recuperação de virilidade e um nível de bateria, mas sem autonomia. Isso é observado na MMI.Isso, naturalmente, passa quando se acelera. Com dois motores elétricos de 408 cavalos e 67,5 kgfm disponíveis imediatamente, a sensação é aquela de todo sege elétrico: prontidão.Bastou apoucar o pedal que ele vai com vigor, sem perder a virilidade. Isso, simples, pode ser minorado ou ampliado nos modos de transporte e ele tem zero menos que sete.Allroad, offroad, efficiency, comfort, auto, dynamic e individual. O allroad é plena tração nas quatro rodas, enquanto o offroad modula a tração em pisos ruins.O eficiency atenua muito a força e você afunda mais o pé no pedal. Foco é a economia. Já o comfort lhe dá um desempenho melhor, com respostas mais imediatas.No auto, é onde o e-tron promiscuidade vários modos para oferecer uma transporte deleitável, porém, eficiente. O dynamic concentra a virilidade para uma direção esportiva, deixando o sege mais firme e reles.Aliás, pode-se ainda ajustar a profundeza da suspensão pneumática, também pela MMI. Tudo isso pode ser misturado no modo individual.Lembra-se do que falamos nesse subtítulo? Pois é, o Audi e-tron tem um modo Sport no seletor de marcha e, se desejar, pode fazer de conta que o câmbio é um S tronic.Todavia, no volante, as aletas não são paddle shifts para mudança de marchas, mas variação de resposta de freio.No “+”, ele reduz a ação dos propulsores em reter velocidade e aumentar a recuperação de virilidade. No “-“, essa força é ampliada e pode-se parar a sege praticamente sem o freio.Existem três níveis de regeneração de virilidade e ainda existe o modo Range, que desliga ar condicionado para ampliar a autonomia da bateria.Felizmente, nesse modo, o e-tron continua com o tela todo funcional, dissemelhante do Onça I-Pace, que só deixa o cluster ligado.Tristonho uma vez que tem de ser, o Audi e-tron entrega uma oferta de potência boa, porém, sem ser de modo qualquer íngreme ao pisar fundo, uma vez que no Onça I-Pace.Com meio de sisudez reles, já que as baterias de 95 kWh estão no assoalho, o Audi e-tron – apesar de seu porte – não apresenta tendência de rolagem de carroceria.As rodas aro 21 com pneus 265/45 ajudam também, assim uma vez que o bom trabalho da suspensão pneumática adaptativa, que fica mais baixa em velocidade e se mantém muito firme nas curvas.A dinâmica de transporte é supimpa e o e-tron se torna deleitável mesmo quando a estrada ou rua já se apresenta em condições não favoráveis, mostrando a boa resposta da suspensão.Os freios são imediatos, digamos assim, mas nos modos de regeneração, não é preciso dispor deles com tanta frequência. A própria redução chega a ser muito possante nas desacelerações.Na transporte, a assistência ao motorista é totalidade, com controle de cruzeiro adaptativo e uma série de recursos para manter a segurança ao volante. Não há zero privativo, é o que se espera dele.Já as câmeras exigem certa adaptação. O que não gostamos nelas foi a nitidez e o ajuste de imagem, que é feita na tela do lado do motorista.Na estrada, não há problemas, mas no trânsito urbano, mormente em avenidas com faixas estreitas, a atenção fica mais voltada para o que vem de trás do que exatamente o que se tem avante.É moto que passa tirando tinta das câmeras ou aquele ônibus no galeria que parece querer levar tudo. Sem incerteza, é um trabalho de adaptação ao sege, o que não deveria subsistir.A percepção de espaço se perde naquelas telas. Por muitas vezes você procura os espelhos inexistentes.Bom, isso é uma sentimento de 4 dias com o sege. Quem comprar o sege terá tempo de sobra para assimilar a coisa.O consumo? Registramos 20,8 kWh/100 km na cidade e 25,1 kWh/100 km. Se considerarmos os 83,2 kWh disponíveis para uso na bateria, teremos 400 km na cidade e 300 km na estrada.A Audi fala em autonomia de 436 km, mas isso é em um modo muito mais eficiente que o auto e em outras condições. De qualquer forma é razoável pela proposta.Viajar? Unicamente em rodovias que tenham eletropostos de subida potência e disponíveis para uso. Infelizmente, é uma vez que se os carros chegassem antes do combustível no Brasil.Pense em ter um carregador doméstico de maior potência em morada, porque o que vem a bordo não é suficiente para repor muita coisa.Em 12 horas, recuperamos somente 67 km, passando de 66% para 85%. O consumo de virilidade é reles, nesse caso, em torno de R$ 5,00.Por você…O Audi e-tron Performance Black é um sege de mesmo nível do Audi Q8, porém mais lítico de encaminhar e com alguns recursos interessantes, porém, voltados para a virilidade.O lado ruim dele e de outros luxuosos é a imensa quantidade de opcionais caros. Sem pintura metálica, o SUV testado tinha um Polo MPI em equipamentos extras.Logo, para ter tudo, não se deve considerar o preço interessante oferecido pela marca, exceto no período promocional. Ainda assim, se for passar detrás de um protótipo “convencional”, o preço não mudará tanto.No Brasil, os carros elétricos mais caros são exatamente os vantajosos em preço, porque eles ficam no mesmo patamar dos equivalentes à gasolina ou diesel, com exceção da autonomia.A rede de recarga ainda é um empecilho para trespassar das proximidades dos principais centros do país, o que é um fator limitante para a expansão das vendas de carros uma vez que esse.Ainda assim, para quem não tem pretensões tão rodoviárias, o SUV elétrico da Audi é uma opção. Outras? Mercedes EQC por R$ 575 milénio e Onça I-Pace por muito menos, se apresentam.Medidas e números…Ficha Técnica do Audi e-tronMotor/TransmissãoMotor – 2 elétricos (um em cada eixo)Potência – 408 cv a 0 rpmTorque – 67,5 kgfm a 0 rpmTransmissão – automática de uma velocidadeTração – IntegralBaterias – Íons de lítio com 95 kWhDesempenhoAceleração de 0 a 100 km/h – 5,7 segundosVelocidade máxima – 200 km/h (limitada)Consumo urbano – 20,8 kWh/100 kmConsumo rodoviário – 25,1 kWh/100 kmSuspensão/DireçãoDianteira – McPherson/Traseira – MultilinkElétricaFreiosDiscos dianteiros e traseiros com ABS e EDBRodas/PneusLiga ligeiro aro 21 com pneus 265/45 R21Dimensões/Pesos/CapacidadesComprimento – 4.901 mmLargura – 2.043 mm (sem retrovisores)Profundidade – 1.629 mmEntre eixos – 2.928 mmPeso em ordem de marcha – 2.655 kgPorta-malas – 660 litros (60 na frente)Preço: R$ 539.990 (preço base) R$ 599.990 (medido)Audi e-tron Performance Black 2021 – Galeria de fotos O que você achou desta notícia?



Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + três =